JÚNIOR OLIVEIRA
A mais forte

A mais forte

Ficha técnica

Realização: Trama Teatro
Autor: August Strindberg
Diretor: Deusimar Gonzaga
Atrizes: Joana Peixoto e Rita Alves
Figurino e cenário: Júlio Vann
Desenho de luz: Júnior Oliveira


Peça escrita por volta de 1.888 é considerada um dos mais importantes monólogos dramáticos do Teatro Moderno. Duas ex-amigas e colegas do teatro se encontram por acaso numa velha estação de trem numa noite de natal. Numa época apenas sugerida: final do século XX. Uma delas, a senhora X, se casou com o homem que foi e talvez ainda seja o amante da outra, senhorita Y. Neste encontro emergem afetos, raivas e mágoas, ressentimentos do relacionamento delas que ficaram reprimidos e que as tem atormentado por muito tempo. A senhora X, atordoada pelo inesperado, tenta convencer a senhorita Y de que ela fez a escolha certa: deixar o teatro, se casar com Bob e ter uma família. Diante dos silêncios, risos e olhares da senhorita Y, suas palavras são reverberadas e a deixam insegura, confusa e agressiva. Projeções psicológicas levam as duas a uma delirante troca de papéis. Ser a outra: ouvir e dizer o que cada uma fantasia estar na mente da outra. Buscamos na teoria do inconsciente pessoal e coletivo de C.G. Jung um referencial para a construção dramática deste espetáculo.

Deusimar Gonzaga